Liiinda!


texto BÍBLICO Lucas 2:21 -39.
Comentário: O Desejado de Todas as Nações, capítulo 5.
 Verso Bíblico: Lucas 2:25 e 26.

 

Resumo da história bíblica:
Talvez um dos momentos mais significativos da história da infância de Jesus seja a ocasião em que José e Maria O levaram para ser dedicado no Templo. Embora essa fosse uma prática comum na religião judaica, a dedicação de Jesus não foi como as outras. Algo muito extraordinário ocorreu durante a cerimônia. Simeão, um homem bom e piedoso, reconheceu o Salvador e rendeu louvores a Ele. Ana, uma profetisa, entoou um louvor profético, reconhecendo também o Messias que tanto havia esperado.
Este estudo apresenta vários aspectos que podem beneficiar os alunos ao estudarem a dedicação de Jesus no Templo. Primeiro, a história apresenta um pequeno grupo de crentes que almejavam sinceramente a chegada do reino de Cristo. Esse pequeno grupo assemelha-se aos remanescentes que aguardam a segunda vinda de Cristo. Segundo, a história apresenta cenas na cerimônia de dedicação que revelam verdades profundas a respeito de Cristo como nosso Redentor. Levar o filho primogênito para ser dedicado no Templo era um ato relacionado à libertação de Israel do Egito. Ironicamente, o Redentor foi apresentado ao sacerdote num ritual que simbolizava a redenção. Mais tarde, Ellen White observou: “O Shekinah [presença visível de Deus] se afastara do santuário, mas no Menino de Belém encontrava-se, velada, a glória ante a qual se curvam os anjos.” — O Desejado de Todas as Nações, p. 52. Finalmente, as pessoas que testemunharam a dedicação do Messias no Templo servem de modelo para nós hoje — pessoas comuns que tinham uma grande esperança que era o assunto principal da vida delas: a promessa do Salvador vindouro. Os jovens de hoje podem viver com a mesma esperança e o mesmo foco nos assuntos espirituais, assim como Simeão e Ana.

OBJETIVOS PARA TUA CLASSE ALCANÇAR:
• Ver a importância de depositar a esperança em Cristo e colocá-Lo em primeiro lugar todos os dias. (Saber)
• Sentir que hoje podem fazer parte de um grupo de remanescentes que permanecem centralizados em Cristo. (Sentir)
• Escolher viver cada momento com expectativas extraordinárias. (Responder)

III. PARA EXPLORAR (para professores)
• Remanescente
• Prioridades
• A Segunda Vinda de Cristo (Nisto Cremos, cap. 24)

ENSINANDO
1. INICIANDO
Atividade
Encaminhe os alunos à seção da lição intitulada O Que Você Acha? Depois que tiverem concluído a atividade, discuta suas respostas.
Convide os alunos para compartilhar com a classe suas respostas da atividade da seção O Que Você Acha? da lição do aluno. Quais as semelhanças entre os remanescentes que aguardaram a primeira vinda de Cristo com os remanescentes que verão Cristo voltar?

Ilustração
Conte esta ilustração em suas próprias palavras:
Conta-se a história de um guarda-florestal de um parque nacional que ficou responsável por guiar um grupo de turistas até o mirante do local. O guarda-florestal ficou tão empolgado em ser o guia daquele grupo que começou a apontar cada flor e árvore diferente da floresta e a nomeá-las. Ele podia identificar tudo que via pela frente! Ao guiar o grupo de turistas pela floresta, as constantes comunicações do rádio que carregava na cintura começaram a distraí-lo e a espantar a vida selvagem que desejava tanto mostrar ao grupo. Assim, decidiu desligar o rádio para que pudesse mostrar as maravilhas da floresta sem ser interrompido. Os turistas estavam maravilhados com as explicações do guarda-florestal. Alguns até mesmo começaram a anotar as informações detalhadas da botânica e da vida animal que o guia lhes dava. Porém, o guarda-florestal falhou em perceber que ele e o grupo estavam sendo seguidos. Ao se aproximarem do mirante, outro guarda-florestal em desespero alcançou o grupo. Tentando recuperar o fôlego, exclamou:
— Por que seu rádio não está ligado? Há mais de dois quilômetros agora estamos tentando avisar que um urso pardo está à espreita de todo o grupo faz meia hora!
O grupo não tinha a menor idéia de que estava prestes a aprender que a expressão “mundo selvagem” não é apenas uma frase, mas a realidade da floresta. É possível estar por dentro de um assunto e ao mesmo tempo estar completamente por fora de outro.

II. ENSINANDO A HISTÓRIA

Uma Ponte Para a História
Comente com os alunos em suas próprias palavras:
De que maneira a história se aplica às pessoas que estarão vivas na ocasião da volta de Cristo? É possível vivermos com o nosso “rádio” desligado?
Simeão e Ana faziam parte do pequeno grupo de pessoas que deixaram o “rádio ligado”. Eles mantiveram viva a esperança de que Cristo um dia viria à Terra. A única maneira que podiam ficar atentos à chegada do Salvador, ou do Consolador de Israel, era observar os sinais e esperar a chegada do grande dia.

APLICAÇÃO DA LIÇÃO À PRÓPRIA VIDA (Para Professores)

Após ler com seus alunos a seção Estudando a História, use as perguntas a seguir em suas próprias palavras, para discutir com eles.
• Leia a história e tente imaginar a cena em sua mente. Imagine o pátio do Templo, os sons, o cheiro e a seqüência de fatos da história.
• Sublinhe as três frases principais do relato bíblico.
• Ao prestar atenção em cada palavra lida, que novos aspectos você notou na história?
• Com tão pouca informação a respeito da infância de Jesus, por que você acha que essa história foi relatada na Bíblia?
• Analise as palavras de Simeão a Deus e as palavras que disse a Maria. Considerando as declarações proféticas de Simeão, que tipo de pessoa você acha que ele era?
• Analise também a resposta de Ana (apesar de as suas palavras exatas não terem sido registradas) e reflita: Simeão e Ana eram pessoas comuns, com expectativas comuns a respeito do Messias, ou eram pessoas fora do comum para o tempo em que viviam? Justifique sua resposta.
• Em sua opinião, de que maneira o estilo de vida de Ana, ficando todo o tempo no Templo jejuando e orando, afetou a influência que exercia sobre aqueles que estavam à sua volta? A última frase da história ressalta:
“Ela chegou e começou a louvar a Deus e a falar a respeito do menino para todos os que esperavam a libertação de Jerusalém.” Lucas 2:38. Em sua opinião, qual foi a reação das pessoas diante das palavras de Ana?
• Deus revelou a Simeão que ele não morreria antes de ver o Messias. Imagine como ele deve ter ficado ansioso ao ver os anos finais de sua vida chegarem, sabendo que a qualquer momento teria o privilégio de testemunhar a presença do Filho de Deus. De que forma isso se assemelha a nós que estamos vivendo as cenas finais da história deste mundo?

Utilize as passagens a seguir como fontes alternativas relacionadas à lição desta semana:
Isaías 6; Mateus 13:14; João 4; Lucas 24; Mateus 25.

Apresentando o Contexto e o Cenário
Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos. Explique em suas próprias palavras.
A lição desta semana destaca a dedicação de Jesus no Templo, mas o foco central da história é a reação de Simeão e Ana, duas pessoas que aguardavam ansiosamente o aparecimento do Messias.
Com relação à cerimônia de dedicação, Alfred Edersheim escreveu: “Essa cerimônia consistia na apresentação formal da criança ao sacerdote, acompanhada por duas ‘ações de graça’ — a gratidão pela redenção da lei e a gratidão pelo filho primogênito. Logo em seguida, o dinheiro da redenção era pago. Lembrando o significado simbólico dessa cerimônia como a expressão da exigência de Deus sobre cada famfiia de Israel, esse ritual deve ter sido o mais solene de todos.” — Life and Times of Jesus the Messiah.
Aproximadamente 40 dias depois do nascimento de Jesus, José e Maria levaram o Salvador do mundo para ser dedicado como sinal da provisão misericordiosa de Deus e a sua devoção a Ele.
José e Maria levaram Jesus ao Templo em obediência à Lei. Maria deveria passar pelo ritual de purificação e Jesus deveria ser dedicado. Havia três partes diferentes para a realização da cerimônia de dedicação. Primeiro, havia o ritual de purificação. Esse ritual tinha que ver com a mãe. Depois de dar à luz, a mãe era considerada impura por cerca de 40 dias. De acordo com Levítico 12:1-4, a mãe era considerada impura por sete dias. No oitavo dia, o bebê homem era circuncidado. Depois disso, devido à perda de sangue, a mãe era considerada impura por mais 33 dias. Somente depois desse período é que a mãe poderia entrar no Templo e o ritual de purificação ser realizado. Esse ritual incluía uma oferta (um cordeiro como oferta queimada e uma rolinha como oferta pelo pecado). Naquela época, apenas os ricos podiam pagar por um cordeiro. No lugar do cordeiro, as famílias mais pobres podiam oferecer dois pombos ou duas rolinhas (Levítico 12:6-8). Evidentemente, José e Maria não eram ricos.
Segundo, havia a cerimônia de dedicação da criança. Essa cerimônia era dividida em duas partes: se a criança fosse um menino nascido na tribo de Levi, automaticamente tornava-se parte da classe de sacerdotes. Para os primogênitos nascidos em outras tribos, os pais deveriam trazer uma pequena oferta para a cerimônia. Essa oferta geralmente consistia de cinco barras de prata (Números 18:1-16).
A terceira parte da cerimônia de dedicação era a consagração do primogênito ao Senhor (Êxodo 13:2, 12), uma exigência feita a todas as famílias judaicas. Simeão, um servo fiel de Deus, e Ana não apenas testemunharam a dedicação de Jesus no Templo, mas reconheceram Jesus como o Messias. Isso aconteceu, talvez, apenas porque faziam parte de um pequeno grupo de pessoas que criam que isso aconteceria e que aguardavam atentos o dia do aparecimento do Senhor.

III. ENCERRAMENTO

Atividade
Encerre com uma atividade. Explique em suas próprias palavras.
Divida a classe em dois grupos. Instrua um grupo a revistar a sala e procurar objetos que contenham a cor azul. Instrua o outro grupo a examinar a sala em busca de objetos que contenham a cor vermelha.
Ao terminar a atividade, pergunte: “Ao caminhar pela sala hoje, você se perguntou: ‘Uau, há pelo menos cinco objetos nesta sala que contêm a cor vermelha’? Provavelmente não. Nessa atividade vocês tiveram que procurar por algo específico. Em que isso se assemelha à visão de Simeão e Ana da vinda do Messias? Como nossa vida seria diferente se buscássemos a Cristo da mesma forma? O que mudaria?”

Resumo
Compartilhe os seguintes pensamentos, usando suas próprias palavras:
Na ocasião em que José e Maria levaram Jesus ao Templo, provavelmente ainda estavam hesitantes e exaustos devido aos eventos que se seguiram ao nascimento de Jesus. Simeão, sabendo que seus dias estavam chegando ao fim, mas certo da promessa divina de que não morreria antes de ver o Messias, olhava cada bebê nos olhos e se perguntava:
“Será que é esse o Messias?” Ana passava dias e noites no Templo servindo ao Senhor e atenta ao dia em que o Messias apareceria. Talvez nenhum dos dois soubesse ao certo se o Messias apareceria a eles ainda como um bebê. Mas, ao aparecer a Glória do Céu, Simeão e Ana estavam atentos e reconheceram o Messias.
É possível passar o dia, a semana e até mesmo a vida tão ocupado e concentrado em tantas coisas que nos esquecemos daquilo que realmente importa. Encontre maneiras de se lembrar a cada dia dAquele que deve ser o centro de nossa atenção e do maior evento da nossa vida futura. Não a formatura. Não o casamento. Não o trabalho. Mas, sim, a volta do Messias — o Salvador Jesus Cristo. Tão certo como Ele veio à Terra há 2.000 anos, Ele voltará. Qual será sua prioridade até esse dia chegar?
Lembre os alunos sobre o plano de leitura, em que eles estudarão, na série O Grande Conflito, o comentário inspirado da Bíblia. A leitura correspondente a esta lição é O Desejado de Todas as Nações, capítulo 5.


Dicas Para um Ensino de Primeira Linha

Uma Variedade de Sentidos
Não há dúvida de que descobrimos o mundo, as idéias e as informações através dos nossos cinco sentidos. Ao ensinarmos, será que estamos utilizando métodos que envolvam os sentidos? A atividade de encerramento desta lição mexe com o sentido visual. É raro quem utilize todos os sentidos de igual forma. Geralmente, cada ser humano utiliza um ou dois sentidos mais do que os outros. Porém, a variedade dos sentidos é a chave do ensino. Certa vez, um professor trouxe um pão que tinha acabado de sair do forno para a Escola Sabatina numa manhã de sábado. Os alunos puderam ver, degustar, tocar e cheirar o pão.
IA lição falava a respeito da declaração feita por Jesus de ser “o Pão da Vida”, um Pão que nunca deixará que sintamos fome novamente. Pense nos sentidos e de que forma estimulá - los em sala de aula.