sc

 

Somente Jesus Pedro e João curam aleijado na porta do templo


Texto Bíblico: Atos 3; 4:1-31.
Comentário: Atos dos Apóstolos, capítulo 6.
Verso Bíblico: Mateus 17:8

SINOPSE
A história de Pedro e João curando o mendjgo aleijado oferece uma grande oportunidade de abordar vários temas espirituais. Logo após a cura, Pedro prega aos espectadores. Os líderes religiosos não ficaram nem um pouco contentes com o que Pedro e João estavam pregando e mais do que depressa mandaram prendê-los.
A prisão deu a Pedro a oportunidade de testemunhar de Jesus. Cheio do Espírito Santo, ele disse: “Autoridades e líderes do povo! Visto que hoje somos chamados para prestar contas de um ato de bondade em favor de um aleijado, sendo interrogados acerca de como ele foi curado, saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores. Este Jesus é ‘a Pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que Se tornou a Pedra Angular.’ Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos.” Atos 4:8-12.
Qualquer tema que você escolher abordar na lição desta semana apontará para Jesus. Uma ênfase importante que naturalmente se sobressai na passagem bíblica citada é o trabalho missionário. Tenha em mente que essa história toda aconteceu por causa do trabalho missionário que Pedro e João fizeram pelo mendigo aleijado. Claro que a cura milagrosa foi realizada em nome e no poder de Jesus. Outro ponto importante digno de ser destacado é a importância do testemunho. A passagem bíblica apresenta um exemplo ideal para ensinar-nos como partilhar a nossa fé. Afinal, o testemunho descrito nesta história baseia-se totalmente em Jesus — Sua morte, ressurreição e presença contínua através do Espírito Santo.
Ao apresentar este estudo, professor, siga o exemplo de Pedro e João — fale sempre de Jesus. Que digam de você aquilo que na época disseram a respeito desses dois grandes discípulos: “...
e reconheceram que eles haviam estado com Jesus” (Atos 4:13).

Os alunos deverão alcançar os seguintes objetivos:
• Ouvir a história dos homens que mudaram o mundo porque aceitaram que Cristo vivesse em seu coração. (Saber)
• Sentir a compaixão que Jesus sente por todos os Seus filhos. (Sentir)
• Aceitar o desafio de partilhar a história de Jesus com as pessoas que não O conhecem. (Responder)
PARA O PROFESSOR EXPLORAR
• Calvário
• Trabalho missionário
• Como testemunhar
Atividade
Divida a classe em pequenos grupos. Cada grupo ficará responsável por elaborar uma palestra intitulada: “Como testemunhar de Cristo sem se tornar uma pessoa esquisita.” Os grupos deverão fazer uma lista de todas as ideias possíveis. Em seguida, peça para mostrarem a lista aos outros grupos enquanto você reúne todas as ideias em uma única lista. Coloque um asterisco ao lado das ideias que ao menos alguns da classe se disponham a colocar em prática durante a semana.

Ilustração
Em janeiro de 2008, a atenção da mídia foi atraída para a história de Demi-Lee Brennan, uma adolescente australiana de 15 anos de idade. Demi-Lee tornou-se a primeira paciente no mundo a mudar de tipo sanguíneo, passando de O negativo para O positivo ao incorporar o sistema imunológico proveniente do fígado que recebeu ao ser transplantada.
A princípio, os médicos acharam que alguém havia cometido algum engano, pois jamais poderiam imaginar que uma mudança assim pudesse ocorrer. Demi foi a protagonista de “um milagre em seis bilhões”.
As células-tronco do novo fígado de DemiLee invadiram a medula óssea e se apossaram de seu sistema imunológico. Hoje Demi pertence a um grupo sanguíneo completamente diferente — em suas veias corre um sangue que traz vida em vez de morte. “É como seu eu tivesse uma segunda chance de viver”, afirmou a paciente.
Essa história é uma ótima notícia — tanto para Demi-Lee, quanto para muitos outros pacientes! Esse fenômeno raro a livrou de tomar para o resto da vida um coquetel de medicamentos antirrejeição. Demi é uma adolescente saudável que não apresenta nenhum outro sinal da luta difícil pela vida a não ser uma simples cicatriz.
O sucesso de seu transplante levou esperança a mais 1.800 pacientes australianos ansiosos para serem submetidos a um procedimento semelhante. O caso de Demi-Lee tornou-se objeto de pesquisas médicas que estão sendo realizadas ao redor do globo. O ex-diretor da unidade de transplante de fígado de Westmead, Dr. Stuart Dorney, comentou:
“Precisamos agora rever tudo o que aconteceu com Demi e verificar o porquê da mudança e se pode ocorrer novamente.”

Uma Ponte Para a História
A história de Demi-Lee não é diferente da sua ou da minha história. Nós também recebemos a oportunidade de mudar de tipo sanguíneo — sim, essa oportunidade nos foi dada no Calvário. Nosso Salvador, Jesus Cristo, carrega as cicatrizes de nossa cura. Ao depositarmos nossa fé em Cristo, recebemos o dom da vida eterna. Que notícia maravilhosa!
A lição desta semana nos conta a respeito de uma cura milagrosa, mas, na verdade, essa história não se resume apenas à cura de um aleijado através do poder do Espírito de Deus. Essa história revela onde nós também podemos encontrar a vida — em Jesus! Precisamos partilhar essa história com outras pessoas. Nossa vida depende disso.
A lição destaca a atuação de Pedro, o mesmo apóstolo que escreveu uma carta aos cristãos afirmando que o mundo está imerso “na libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante. Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam. Contudo, eles terão que prestar contas Àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos. Por isso mesmo o evangelho foi pregado também a mortos, para que eles, mesmo julgados no corpo segundo os homens, vivam pelo Espírito segundo Deus” (1 Pedro 4:3-6).
Quem não quer viver “pelo Espírito segundo Deus”? Claro que não nos ajustaremos
a este mundo, mas e daí? A vida com Jesus é
a melhor maneira de viver.
Pedro vivia o que pregava. Não se deixou intimidar pelas autoridades que o interrogaram por ter curado o homem aleijado. Foi lançado na prisão por testemunhar de Jesus, mas estava feliz por permanecer firme na fé em Jesus!
Aplicando a História (Para Professores)
• O mendigo aleijado pediu dinheiro, mas Pedro lhe deu algo muito mais valioso — a mobilidade das pernas. Alguma vez você pediu a Deus que o ajudasse a resolver um pequeno problema e foi surpreendido por uma resposta à sua oração muito maior do que imaginava? Se sim, partilhe sua história com a classe. Em seguida, em classe inicie uma discussão em relação ao seguinte pensamento: “Peça a Deus aquilo que deseja, mas não se surpreenda se Ele lhe der aquilo de que realmente precisa.”
• Note que o homem aleijado “entrou com eles no pátio do templo, andando, saltando e louvando a Deus” (Atos 3:8). Pense no que deixa as pessoas entusiasmadas em nossa cultura hoje. Shows musicais? Sim. Jogos de futebol? Sem dúvida. Festas? Claro. Igreja? Nem tanto. Por que pensa assim? Será que hoje ainda é possível ter a mesma alegria do homem aleijado ao ir à igreja?
• Atos 3:10 diz que ao verem o aleijado andando e saltando, “todos ficaram perplexos e muito admirados com o que lhe tinha acontecido”. Você descreveria as coisas que têm acontecido na igreja moderna como algo que deixa as pessoas que nos observam “perpiexas e muito admiradas”? Explique. Será que os mesmos milagres descritos na Bíblia podem acontecer em nossos dias? Se sim, por que são tão raros?
• O que você responde quando as pessoas
o atacam com perguntas a respeito de sua fé?
O que você aprendeu com a maneira que Pedro respondeu aos líderes religiosos?
• Atos 4:13 fala da “coragem de Pedro e de João”. O que “coragem” significa para você ao testemunhar de Jesus?

Apresentando o Contexto e o Cenário
No mundo antigo era comum os mendigos sentarem-se à entrada do Templo. Essa era uma localização estratégica, pois quando as pessoas vão adorar a Deus, estão mais dispostas a demonstrar compaixão aos necessitados. Assim, a cena apresentada na história desta semana, de Pedro e de João indo ao Templo no horário costumeiro de oração (às três da tarde) e encontrando um mendigo aleijado, era muito comum. Incomum foi o que aconteceu em seguida.
Pedro ordenou ao aleijado: “Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande.” Atos 3:6. Em outras palavras, Pedro estava dizendo “pela autoridade de Jesus...” Essa cura ocorreu apenas pelo poder do Espírito Santo, não pelo poder de Pedro ou de João.
O milagre atraiu a atenção da multidão que ali se encontrava e Pedro aproveitou a oportunidade para testemunhar de Cristo. Note que Pedro apresentou abertamente a mensagem afirmando quem Jesus era, de que maneira os judeus O rejeitaram, a razão de essa rejeição ser mortal e da grande necessidade que tinham de se arrepender e fazer as pazes com Deus. Pedro proclamou uma mensagem de paz, enfatizando que ainda não era tarde demais para aceitar Jesus como o Messias e Salvador.
Pedro os chamou ao arrependimento:
“Portanto, arrependam-se e voltem para Deus, a fim de que Ele perdoe os pecados de vocês. E também para que tempos de nova força espiritual venham do Senhor, e Ele mande Jesus, que Ele já tinha escolhido para ser o Messias de vocês.” Atos 3:19 e 20, NTLH. Note que, como resultado direto do arrependimento, Deus abençoa Seus filhos com “nova força espiritual”. Oséias declarou:
“Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-Lo. Tão certo como nasce o sol, Ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra.” Oséias 6:3. Você gostaria de receber nova força espiritual? Isso é possível através do arrependimento.
Pedro e João foram convocados para testemunhar perante o Sinédrio onde se encontravam “as autoridades, os líderes religiosos e os mestres da lei” (Atos 4:5). Esse foi o mesmo grupo de pessoas que condenou Jesus à morte (ver Lucas 22:66). O Sinédrio era composto por 70 membros, além do sumo sacerdote. A maioria dos membros era de saduceus. Os saduceus eram homens muito influentes e ricos que não criam na ressurreição. Portanto, sentiram-se profundamente ofendidos ao saberem que Pedro e João “estavam ensinando o povo e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos” (Atos 4:2).
Apesar disso, os membros do Sinédrio ficaram maravilhados diante do testemunho dos discípulos, pois sabiam que eram pessoas sem instrução formal. Puderam notar a grande diferença que Jesus havia feito em sua vida (Atos 4:13). A transformação que Jesus opera na vida daqueles que O aceitam é o testemunho mais poderoso que existe.

Atividade

Desafie os alunos a praticar o evangelismo durante a próxima semana. Assim como Pedro e João começaram com um ato de compaixão antes de testemunharem de Cristo, também podemos aguçar o interesse das pessoas por Cristo demonstrando amor através do serviço abnegado em prol dos necessitados.
Resumo

Matthew Parris é um colunista do jornal britânico The Times of London que se autodenomina ateu. Na coluna de dezembro de 2008, ele escreveu um artigo intitulado:
“Como ateu, realmente acredito que a África precisa de Deus.” Parris admitiu que ao dizer isso foi de encontro às suas crenças, mas afirmou que não pôde deixar de notar a diferença dos africanos cristãos. Parris, que foi criado na África, escreveu:
“Antes do Natal, voltei, após 45 anos, ao país que quando criança conhecia como Niassalândia. Hoje Malaui. [...] Essa visita me inspirou, renovou minha fé enfraquecida nos projetos de caridade. A viagem ao Malaui também renovou outra crença — uma que em toda a minha vida tentei banir, mas que fui incapaz de deixar de notar desde a minha infância na África. Ela confronta minhas crenças ideológicas, recusa-se obstinadamente a encaixar-se na minha visão de mundo e que tem envergonhado a minha crença crescente de que Deus não existe.
Hoje, um ateu convicto, não tenho a menor dúvida da enorme contribuição do evangelismo cristão à África. [...] Trouxe uma transformação espiritual. O renascimento é real. A mudança é boa.”

Dicas Para um Ensino de Primeira Linha
 
 Ensinando Através do Exemplo  
Apesar de ser uma boa idéia fazer uma pesquisa na internet à procura de “dicas para
ajudar os alunos a partilharem sua fé”, a maneira mais poderosa de ensinarmos esse assunto 1
é vivermos o evangelismo na prática. Podemos usar as técnicas mais avançadas do mundo,
mas se não formos testemunhas ativas de Cristo, tudo aquilo que ensinarmos sobre o as sunt será em vão. Cuidado! Os alunos percebem a diferença entre nosso discurso e nosso
testemunho. A melhor maneira de incentivar os alunos a testemunhar é trazer alguém que você ajudou a conhecer a Cristo e pedir que dê o seu testemunho de conversão. Peça ao seu
convidado para falar da diferença que Jesus fez em sua vida. Não se surpreenda se os alunos 1 reconhecerem que você e seu convidado estiveram com Jesus!

Se você possui o livro, leitura correspondente a este estudo bíblico está em Atos dos Apóstolos, de Ellen G. White, capítulo 6.