sc

Últimas Palavras e Testemunhos


Texto Bíblico: Atos 1:1-11.
Comentário: Atos dos Apóstolos, capítulos 1, 2 e 3.
Verso Bíblico:Atos 1: 7 e 8
SINOPSE
As últimas palavras proferidas geralmente são as mais importantes, especialmente se a pessoa sabe realmente que aquelas são suas últimas palavras. As últimas palavras de Cristo foram estratégicas: “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão Minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judeia e Sarnaria, e até os confins da Terra” (Atos 1:8).
Em Jerusalém, as cenas da crucifixão e da ressurreição de Cristo ainda estavam vivas na mente do povo. Provavelmente, muitas pessoas que ouviram o testemunho dos seguidores de Jesus também ouviram o testemunho do próprio Salvador. Ainda hoje, há muitas pessoas dentro da nossa esfera de influência (Jerusalém) que podem ser atraídas a Cristo se nos dispusermos a testemunhar para elas.
O problema de levar o evangelho à Judeia e Samaria não era a distância física desses lugares, mas o grande preconceito existente entre os judeus e os gentios. Porém, no momento certo, o Espírito Santo capacitou e acompanhou os discípulos para levarem as boas-novas da ressurreição de Cristo a esses povos. A igreja também se depara com obstáculos que apenas o Espírito Santo pode remover a fim de podermos alcançar as pessoas que estão fora da igreja.
Atualmente, sabemos mais a respeito dos “confins da terra" do que os discípulos sabiam na época em que se aventuraram em obediência à ordem de Cristo. É importante que os alunos reconheçam que as palavras finais de Cristo aqui na Terra se tratavam de uma ordem para testemunhar a todas as pessoas sobre a experiência que temos com Ele e o evangelho eterno.
 
Os alunos deverão alcançar os seguintes objetivos:
• Descobrir as habilidades pessoais para testemunhar de Cristo aos outros. (Saber)
• Sentir a urgência de estar preparado para testemunhar. (Sentir)
• Aproveitar cada oportunidade de falar ao mundo sobre o amor de Cristo. (Responder)

PARA O PROFESSOR EXPLORAR
• Evangelho
• Igreja
• Discipulado
ENSINANDO

Atividade
Encaminhe os alunos à seção da lição intitulada O Que Você Acha? Depois que tiverem concluído a atividade, discuta suas respostas.
Incentive a classe a compartilhar as respostas da atividade encontrada na seção O Que Você Acha? da lição do aluno. Essa atividade desafia os alunos a escolherem uma entre várias possíveis respostas. Com base nas respostas dos alunos, você poderá conhecer um pouco do que pensam sobre a igreja e sua missão. Leia cada opção listada na atividade e pergunte: “Quem escolheu a resposta
e assim por diante. Ou, se preferir, simplesmente circule pela sala e pergunte a cada aluno o que respondeu e peça para justificar sua escolha.
Ilustração
Uma das qualidades mais marcantes de Francisco de Assis era a habilidade que tinha de ensinar as pessoas a pensar e a viver de forma diferente, a fim de serem um exemplo aos outros. Na verdade, Francisco ficou muito conhecido por incentivar outros, através de seus próprios atos, a servir abnegadamente ao próximo. Conta-se que em certa ocasião Francisco convidou um jovem monge para passar o dia com ele pregando nas cidades vizinhas. O jovem monge sentiu-se honrado com o convite e o aceitou prontamente na esperança de ser pessoalmente treinado para se tornar um grande pregador. Durante as visitas, passaram pelos piores lugares das cidades, parando sempre para conversar, orar e ajudar os necessitados. O jovem monge e Francisco passaram pelas ruas principais e secundárias, pelos becos e até mesmo pela periferia. Certamente, pararam e encontraram centenas de pessoas naquele dia. Assim que o Sol começou a baixar, Francisco e o aprendiz começaram a viagem de volta para casa. O jovem monge percorria o caminho de volta muito pensativo e até mesmo um pouco decepcionado, pois naquele dia não haviam pregado nenhum sermão sequer. Nem mesmo falaram especificamente sobre o evangelho às pessoas que encontraram. Frustrado, o jovem monge perguntou:
— Pensei que visitaríamos as cidades para pregar! Não pregamos nenhum sermão sequer nem mesmo falamos a ninguém a respeito de Cristo.
Francisco respondeu:
— Meu filho, você não notou o quanto pregamos hoje? Ensinamos muitas coisas às pessoas durante nossa visita. Muitos acompanharam cada um de nossos movimentos, observando com quem parávamos para conversar e se perguntando como encontrávamos tempo para ajudar os necessitados. Não faz sentido ir a lugar algum para pregar a menos que preguemos em todos os lugares que visitamos!
Como saber o momento certo de falar e o que dizer ao testemunharmos de Cristo?

Uma Ponte Para a História
Talvez a resposta dessa pergunta esteja relacionada à definição de testemunha. O que significa ser uma testemunha? Basicamente, testemunha é alguém que viveu algo e está disposto a contar aos outros a respeito de sua experiência. Ao ler a história a seguir, note que Cristo proferiu naquele momento Suas últimas palavras — a última ordem aos discípulos. É interessante observar que o assunto que Jesus escolheu abordar foi como os Seus
discípulos se tornariam Suas testemunhas no mundo inteiro.

Aplicando a História
(Para Professores)
Após ler com seus alunos a seção Estudando a História, use as perguntas a seguir, em suas próprias palavras, para discutir com eles.
Leia a história e sublinhe as partes que em sua opinião são as mais importantes. Justifique a sua escolha.
Quem é Teófilo, a quem o livro de Atos foi escrito? De que maneira Lucas descreveu sua abordagem ao escrever a história da igreja do Novo Testamento?
O livro de Atos registra as palavras finais de Cristo aos discípulos antes de ascender ao Céu. Compare as últimas palavras de Jesus registradas no livro de Atos e as registradas em Mateus 28:19 e 20.
Em sua opinião, por que os discípulos receberam instruções para permanecerem em Jerusalém até que recebessem o “presente” que o Pai havia prometido? Que presente era esse? Os discípulos sabiam como proceder sem contar com a presença física de Cristo entre eles?
De que maneira você descreveria/definiria urna “testemunha” e o que deve ser testemunhado?
Em sua opinião, por que os discípulos teriam que começar testemunhando em Jerusalém?
Em que Jerusalém se diferenciava de Sarnaria, da Judeia e dos confins da Terra?
Perguntas Adicionais Para os Professores
Descreva o que significa para você hoje Jerusalém, Judeia e Sarnaria e os confins da Terra.
De que maneira essa ordem de Jesus tem sido cumprida hoje?
Corno essa história descreve o que significa ser um discípulo?
Utilize as passagens a seguir como fontes alternativas relacionadas à lição desta semana:
Atos 9; Atos 3; Lucas 19; 2 Reis 7:1-14; 1 Timóteo 4:12.

Apresentando o Contexto e o Cenário
Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos. Explique em suas próprias palavras.
O livro de Atos foi escrito por Lucas (compare o início do livro de Atos com o primeiro capítulo do livro de Lucas) a Teófilo. Ninguém realmente sabe quem foi Teófilo, mas o objetivo do relato é muito bem definido: uma continuação do Evangelho de Lucas, que descreve a história da igreja de Cristo, liderada pelo poder do Espírito Santo.
A história abordada na lição desta semana ocorreu nos quarenta dias desde a ressurreição até a ascensão de Cristo ao Céu. Durante esse período, Jesus procurou esclarecer Sua relação com as Escrituras do Antigo Testamento (Lucas 24:44-48). Parece que no período entre a ressurreição e a ascensão, Jesus aparecia e desaparecia e ninguém sabia ao certo quando apareceria novamente. Mas, ao chegar o momento de Sua ascensão, havia muitas coisas que Cristo desejava que Seus discípulos soubessem:
1. Os discípulos deviam sentir a realidade da ressurreição (Atos 1:3). A realidade de nossa salvação baseia-se no fato de Jesus ter ressuscitado dentre os mortos (1 Coríntios 15:1-40). O tema principal da pregação da igreja do Novo Testamento é a ressurreição de Cristo. O Calvário foi extremamente importante, mas a vitória de Cristo sobre a morte é o tema abordado no livro de Atos.
2. Os discípulos deviam entender quem é o Espírito Santo e Sua relação com a igreja (Atos 1:4 e 5). Durante Seu ministério aqui na Terra, Jesus declarou: “Digo-lhes a verda 9
de: Aquele que crê em Mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque Eu estou indo para o Pai” (João 14:12). Essa promessa está relacionada ao fato de Jesus ter precisado ir ao Céu em carne para que o Espírito de Cristo pudesse ser concedido a todo crente — em todos os lugares e a todo tempo (Joel 2:28; Isaías 44:3; 32:15; João 20:22).
3. Os discípulos deviam assumir a responsabilidade de se tornarem testemunhas de Cristo (Atos 1:7 e 8). Os discípulos não possuíam todas as respostas, mas sabiam o suficiente para arriscar a própria vida a fim de testemunharem de que Cristo era o Filho de Deus que foi crucificado e ressuscitou no terceiro dia. Cristo ascendeu ao Céu em carne diante dos olhos dos discípulos para que pudessem também testemunhar de Seu retorno à Terra.
A ordem de ir primeiro a Jerusalém, depois
à Judeia e Samaria e, finalmente, aos confins
da Terra reflete o curso natural da igreja moderna. Uma das tarefas da lição desta semana
é fazer com que os alunos entendam o que a
ordem de Jesus significa para todos nós hoje.

Atividade
Encerre com uma atividade. Explique em suas próprias palavras.
No centro da sala, coloque um objeto que contenha alguns detalhes (uma cesta de frutas, uma caixa de ferramentas, um arranjo de flores ou um cesto de brinquedos). Peça a ajuda de quatro voluntários. Os voluntários deverão ser divididos em quatro direções e sentar-se à mesma distância do objeto. Depois de se acomodarem, deverão fazer uma descrição detalhada do objeto. Conceda apenas alguns minutos para fazer a descrição. O restante da sala pode realizar a atividade do lugar em que se encontram. Peça para os quatro voluntários lerem a descrição que fizeram em voz alta e convide os alunos a comentarem as semelhanças e diferenças entre as descrições. Todos viram o mesmo objeto, porém, observaram- no segundo seu próprio ponto de vista. Nossa função como testemunhas de Cristo ocorre de forma semelhante. Devemos falar aos outros sobre nossa experiência pessoal com Jesus.

Resumo
É muito importante notar que o plano de Cristo para ganhar o mundo foi entregue para que pessoas normais como você e eu pudéssemos realizar. Pedro, Maria, Tiago, João e Lídia não eram diferentes de nós. Podemos começar falando de nossa história às pessoas que conhecemos em nossa própria “Jerusalém”. A igreja, o lar e a escola são as primeiras esferas de influência que possuímos e temos a oportunidade de atingir. A segunda talvez apresente barreiras a serem superadas e preconceitos a serem quebrados através da fé e do serviço abnegado ao próximo. Não podemos sair de Jerusalém e ir diretamente aos confins da Terra sem primeiro passar na Judeia e Sarnaria! O mais importante é estarmos prontos hoje para partilharmos o que Cristo significa para nós, sem nos importarmos com o meio em que estamos inseridos ou com as dificuldades. Não tenha medo. Cristo prometeu que o Seu Santo Espírito estaria conosco. Prometeu também que nos acompanharia assim como esteve com os discípulos. O que você acha que acontecerá se começarmos a fazer a seguinte oração: “Senhor, conceda-me a oportunidade de testemunhar de Ti a alguém hoje”? Ao fazer diariamente essa oração, fique atento às oportunidades que surgirão. Mas não fique apenas observando. Testemunhe!
Dicas Para um Ensino de Primeira Linha
 
Ensinando Através do Exemplo  
Ensinar através do exemplo próprio (assim como o modelo deixado por Francisco de 1 Assis) é um dos métodos mais desvalorizados. Talvez esse método seja tão subestimado por 1
Icausa da sutileza de sua técnica. Porém, o princípio que o rege é fundamental. É mais fácil levar os alunos a refletir e fazer algo que lhes foi mostrado na prática do que levá-los a reagir
por algo que lhes foi dito. Em vez de dizer: “Esta semana devemos tentar partilhar nossa fé em Cristo com alguém que não conhecemos”, precisamos praticar essa ideia e relatar a
1 experiência aos alunos, não apenas dizer-lhes o que fazer. Por exemplo, se você deseja en1 sinar os alunos a respeito do perdão, perdoe e faça as pazes com alguém e depois relate sua 1
experiência em classe.

Se você possui o livro, leitura correspondente a este estudo bíblico está em Atos dos Apóstolos, de Ellen G. White, capítulos 1, 2 e 3.