waa

 


Texto Bíblico: Romanos; Gálatas.
Comentário: Atos dos Apóstolos, capítulos 35 e 36.
Verso Bíblico: Gálatas 5:1.

SINOPSE
Os jovens de hoje estão crescendo num mundo muito mais tolerante para com os estilos de vida alternativos. A mídia aborda o homossexualismo como uma opção aceitável —   até mesmo desejável — e com frequência retrata essa opção sexual em programas de televisão e filmes. A lição desta semana oferece a oportunidade de trazer à tona esse tema tão delicado que tem bombardeado a mente dos jovens. A sociedade secular não tem restrição para apresentar sua visão sobre esse assunto. Portanto, é muito importante que os jovens conheçam também a visão de Deus revelada em Sua Palavra sobre esse tema. Felizmente, a Bíblia trata esse assunto com muita clareza. Convide seus alunos a abordar esse tema com a Bíblia e o coração abertos para conhecer o que Deus quer que saibamos e façamos. Não se esqueça de enfatizar que Deus e a igreja amam os homossexuais, mas não aprovam o pecado do homossexualismo.
Dependendo do contexto e da maturidade de sua classe, talvez seja melhor conduzir a discussão da lição para outro tema. Como o conteúdo desta lição engloba o livro de Romanos e de Gálatas, há vários assuntos que podem ser explorados e ainda assim permanecer dentro dos textos bíblicos escolhidos para esta semana. Tanto o livro de Romanos quanto de Gálatas possuem lições inspiradoras sobre o tema da salvação. Muitos jovens hoje estão sedentos por lições bíblicas sólidas a respeito da certeza e da experiência da salvação em Cristo. Esses livros da Bíblia oferecem essa oportunidade.

OBJETIVOS para os alunos:
• Ouvir a respeito da liberdade que resulta de uma vida de obediência a Deus. (Saber)
• Sentir o desejo de Deus de salvar a todos nós. (Sentir)
• Aceitar o desafio de experimentar a certeza da salvação que ocorre ao seguirmos a Cristo. (Responder)

PARA O PROFESSOR EXPLORAR
• Homossexualismo
• Certeza da salvação
• Experiência da salvação


Àtividade

Pergunte aos alunos quais são alguns personagens homossexuais que aparecem em filmes ou programas de televisão. Faça uma lista dos programas e filmes mencionados e em seguida discuta as perguntas abaixo:
De que maneira os personagens homossexuais são retratados nos filmes e programas de televisão?
Em que aspectos os estereótipos da mídia se assemelham aos homossexuais que você conhece pessoalmente?
O que há em comum entre a forma como os homossexuais são tratados nos filmes e nos programas de televisão e a forma como são tratados na vida real?
Em sua opinião, é politicamente incorreto chamar o homossexualismo de pecado? Justifique sua resposta.

Ilustração

Marion enfrentou lutas em relação à sua orientação sexual. Conheça um pouco de sua história:
Em meu primeiro ano de faculdade senti- me muito só. Nunca me apaixonei por nenhum rapaz, embora sentisse certa atração pelo sexo masculino. Não tinha ninguém com quem desabafar. Sentia-me muito sozinha e isolada. [...]
Finalmente, envolvi-me com outra mulher que era lésbica. [...1 Moramos juntas por oito anos. [...]
Certo domingo, próximo da Páscoa, estava fazendo caminhada quando passei em frente a uma igreja e senti o desejo de entrar e orar. Havia anos que não entrava numa igreja, mas gostei muito do culto e senti muita paz enquanto estive ali. [...]
Cada vez mais me distanciava de minha companheira e me aproximava de Deus. Queria que Deus tomasse conta de minha vida. Ele não me condenava, ao contrário, me mostrava Seu amor incondicional. Importava-Se comigo a despeito do que havia feito ou das decisões que tinha tomado. Mas senti uma forte impressão vinda de Deus de que não deveria continuar vivendo daquele jeito. Sem a menor sombra de dúvida, sabia que tinha que deixar o homossexualismo, 1:. ..]
Após nove anos de lesbianismo ativo, abandonei essa vida. Dez anos depois, através de um longo processo de mudança e crescimento, não me sinto mais atraída por mulheres. Participar de um grupo de apoio foi muito importante para conseguir lidar com essa atração sexual inapropriada e para superar a mágoa do passado.

  1. II. ENSINANDO A HISTÓRIA
    Uma Ponte Para a História
    Comente com os alunos em suas próprias palavras:
    No livro de Romanos, capítulo 1, nos versos 26 e 27, encontramos a descrição da cultura pecaminosa de nossos dias: “Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza. Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão.”
    De que maneira essa passagem bíblica refuta o argumento tão predominante hoje de que o homossexualismo é simplesmente um estilo de vida alternativo —  não necessariamente um estilo de vida pecaminoso?

Note que o texto bíblico diz que “receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão”. Mesmo num mundo que, de forma geral, aceita e tolera o homossexualismo, de que maneira os homossexuais sofrem o “castigo merecido” hoje?
De que forma Marion (personagem da história acima) recebeu em si mesma o “castigo merecido pela sua perversão” (Romanos 1:27)?

Aplicando a História (Para Professores)
Após ler com seus alunos a seção Estudando a História, use as perguntas a seguir, em suas próprias palavras, para discutir com eles.
Leia Romanos 1:28-32. Após descrever a perversão do homossexualismo, Paulo prossegue retratando a depravação mental que está cheia “de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação”. Note os pecados específicos que Paulo inclui em sua lista. Há algum pecado nesta lista que o surpreende? Por quê? Será que todos os pecados da lista possuem o mesmo grau de perversidade? Aos olhos de Deus, será que o assassinato é tão ofensivo quanto a fofoca? Justifique sua resposta. De que maneira você explicaria a observação feita por Paulo no verso 32 que diz que, mesmo sabendo que as consequências de seus pecados seja a morte, continuam a praticá-las?
Leia Romanos 5 e observe o que recebemos como filhos de Adão (exemplos: ruína — 5:9; pecado — 5:12, etc.) e compare com o que recebemos como filhos de Deus (exemplos: resgate —   5:8; justiça — 5:18; etc.)
Compare Romanos 5:2-5 com 1 Coríntios 13. Quais as semelhanças entre eles?
Estude Romanos 5:6-8 e reflita sobre o que essa passagem tem a lhe dizer pessoalmente.
Leia Gálatas 5:1. Considere a observação feita por Johann Wolfgang Von Goethe (poeta e dramaturgo alemão, 1749-1832): “Ninguém é mais desesperadamente escravizado do que aquele que crê falsamente que é livre.” De que maneira as pessoas hoje creem que são livres, mas na verdade estão desesperadamente escravizadas? Será que Paulo está dizendo que os cristãos, cuja vida está em Cristo, são, na realidade, mais livres do que os descrentes? Explique.
Se a lei de Deus pode ser resumida em apenas um mandamento “ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração [...] e ame o seu próximo como a si mesmo” (Lucas 10:27. Ver Gálatas 5:13), por que existem tantas outras leis que devem ser observadas pelos seguidores de Cristo? Por que obedecer à lei de Deus é a melhor maneira de vivenciar a liberdade?

 
Apresentando o Contexto e o Cenário
Use as informações a seguir para elucidar alguns aspectos da história para seus alunos. Explique em suas próprias palavras.
A lição desta semana aborda duas cartas que o apóstolo Paulo escreveu aproximadamente em 50 d.C. Uma visão mais ampla do contexto em que as cartas foram escritas pode ajudar a compreender a mensagem que Paulo estava tentando transmitir. Não importa o tema que tenha escolhido apresentar à classe, deve ser sempre abordado dentro do contexto geral. Utilize os resumos a seguir para certificar-se de que as informações que deseja apresentar estejam em concordância com o contexto histórico e cultural da época.
Romanos
Visão Geral:
Em sua carta destinada aos crentes de Roma, Paulo apresenta, assim como um advogado habilidoso, uma declaração cuidadosamente estruturada a respeito de sua fé. Apesar de Paulo saber da existência da igreja em Roma, no momento em que escreveu a carta ainda não tinha tido a oportunidade de visitá-la pessoalmente. A igreja era formada por judeus que haviam se convertido no dia de Pentecostes (Atos 2). Os recém-conversos partilharam sua fé em Roma e a igreja prosperou. Embora a carta não siga o estilo de uma carta tradicional da época, em que era iniciada com saudações ao destinatário, ao final, Paulo escreve várias linhas saudando os crentes de Roma. Ao escrever essa carta, Paulo tinha como objetivo apresentar-se aos romanos e partilhar a mensagem da justiça pela fé e o evangelho à igreja.

Temas Principais:
• Pecado
• Salvação
• Crescimento
• Soberania
• Serviço

Esboço:
Capítulos 1-11: Paulo partilha sua crença. Apresenta argumentos incontestáveis a respeito da iniquidade da raça humana e da necessidade da intervenção divina. Prossegue apresentando as boas-novas do evangelho em que todos podem experimentar a salvação através do sacrifício expiatório de Cristo no Calvário e viver acima da escravidão do pecado.
Capítulos 12-16: Paulo ensina como deve ser o comportamento dos seguidores de Cristo. A jornada cristã não é uma teologia abstrata em que não se estabelece qualquer relação com a vida real. Há implicações práticas que influenciam nossas escolhas e nosso comportamento a cada dia. Não é suficiente apenas conhecer o evangelho, é preciso vivê-lo.

Gálatas
Visão Geral:
O
livro de Gálatas foi escrito às igrejas ao sul da Galácia. Trata-se da carta de direitos da liberdade cristã. Nessa carta, Paulo declara a realidade de nossa liberdade em Jesus —   liberdade da lei e do poder do pecado.
Paulo registra sua desaprovação aos mestres que alegavam que, para que os gentios fossem salvos, teriam que obedecer às leis judaicas. Além disso, apela aos cristãos para viverem pela fé e encontrarem total liberdade em Cristo.

Temas Principais:
• Lei
• Fé
• Liberdade
• Espírito Santo

Esboço:
Capítulos 1-2: Paulo fala da autenticidade do evangelho.
Capítulos 3-4: Paulo apresenta a superioridade do evangelho.
Capítulos 5-6: Paulo anuncia a liberdade do evangelho.

III. ENCERRAMENTO
Atividade
Encerre com uma atividade. Explique em suas próprias palavras.
Convide alguns pais para participarem do estudo desta semana e contribuírem com sua visão a respeito do homossexualismo. A escolha dos pais certos sem dúvida é a chave para o sucesso. Certifique-se de que sejam pais que demonstrem respeito a todos os tipos de pessoa — a despeito de sua orientação sexual. Devem também saber respeitar as opiniões dos jovens. Incentive os alunos a fazer perguntas e a se envolverem numa discussão saudável sobre o assunto.

Resumo
Compartilhe os seguintes pensamentos, usando suas próprias palavras:
Robert L. Spitzer, professor de psiquiatria na Universidade de Columbia que convenceu a Associação Americana de Psiquiatria a remover o homossexualismo da lista dos distúrbios mentais em 1973, deu início a mais uma discussão ao alegar que os homossexuais podem mudar sua orientação sexual se assim desejarem. “Os relatórios de mudança feitos pelos próprios indivíduos parecem ser, em geral, válidos, em vez de pensamentos provenientes de uma lavagem cerebral, exagero ou ilusão”, resumiu. Spitzer entrevistou 153 homens e 47 mulheres que afirmaram que o aconselhamento os ajudou a mudar sua orientação sexual de homossexual para heterossexual. O jornal ABCNews calculou as porcentagens ao divulgar a pesquisa: “66% dos homens e 44% das mulheres atingiram o que Spitzer chamou de desempenho heterossexual satisfatório
— um relacionamento heterossexual amoroso prolongado.”

Perguntas para discussão:
As descobertas do Dr. Spitzer o surpreendem? Justifique sua resposta.
Quais sugestões você daria a um amigo que está interessado em abandonar seu estilo de vida homossexual?
Lembre os alunos sobre o plano de leitura, em que eles estudarão, na série O Grande Conflito, o comentário inspirado da Bíblia.
A leitura correspondente a esta lição é Atos dos Apóstolos, capítulos 35 e 36.

— — — — — — — — — — — — — — — — — — —
Dicas Para um Ensino de Primeira Linha
 Abordando Temas Delicados  
Caso julgue apropriado discutir o tema do homossexualismo com os alunos durante o estudo desta semana, leia com atenção as seguintes sugestões adaptadas de U C. Berkeley ‘s Office of Educational Development para conduzir o assunto:
1. Estabeleça regras para a discussão e deixe claro que todos os alunos estão convidados a participar da atividade.
2. Reconheça a diversidade de opiniões e de contexto de seus alunos.
3. Esteja preparado. Mesmo que saiba que provavelmente não haverá reações indesejadas em relação a certo assunto levado à discussão, planeje com antecedência o que fará se isso ocorrer. Faça uma autoanálise e esteja ciente de seus pontos fracos emocionais. Não personalize os comentários.  
4. Mantenha a discussão dentro do assunto proposto, não focalize o indivíduo.  
5. Seja imparcial. Proteja os alunos de igual maneira durante os momentos propensos ao conflito. Procure promover a compreensão, a boa comunicação e a troca de ideias.  
6. Promova um ambiente de debate e de diálogo em que seja permitido discordar.
7. Se algum aluno apresentar uma reação emocional indesejada devido à discussão de um assunto delicado, respeite a sensibilidade individual. Pergunte se o aluno gostaria de permanecer na classe ou se prefere sair um pouco para recompor-se