Texto Bíblico: Marcos 3:13-19; Lucas 6:12-16; Mateus 5-7.
Comentário: O Desejado de Todas as Nações, capílulos 30, 31.
Verso Bíblico: Lucas 6:12, 13.

SINOPSE
Este estudo aborda o chamado dos doze discípulos e o Sermão do Monte, que ocorreu logo em seguida ao chamado. Cinco discípulos estavam com Jesus desde o início de Seu ministério, mas é bom ressaltar que Jesus levou pouco mais de um ano para que acabasse de escolher o restante do grupo. Jesus viveu uma vida de obediência ao Pai antes que chamasse qualquer pessoa para segui-Lo. Será que isso não serve de lição para nós?
Apesar de Jesus ser Deus, não usou Sua divindade para selecionar Seus discípulos. Passou uma noite inteira em oração para que o Pai Lhe mostrasse quem deveria escolher. Jesus estava para dar início a um movimento que mudaria o mundo e, para isso, queria ter certeza de que escolheria as pessoas certas. Essa é uma das partes mais importantes a ser ressaltada na história desta semana. Deus está esperando e pronto para nos guiar em qualquer uma de nossas decisões, grandes ou pequenas.
Logo depois do chamado dos doze discípulos Jesus passou a expor os princípios do reino do Céu que deveriam fazer parte da vida deles. A multidão que ouviu a mensagem de Cristo era composta em sua maioria por pessoas rejeitadas e marginalizadas pela sociedade. A mensagem de Jesus era para elas. Enfatize esta semana que o chamado para seguir Jesus sempre vem acompanhado do chamado para servir a humanidade. Como poderemos fazer isso? Seguindo os princípios ensinados no Sermão do Monte. Todos nós fazemos parte da família de Deus, mas para continuarmos fazendo parte de Sua família precisamos amar e demonstrar nosso amor uns pelos outros.

OBJETIVOS PARA SEUS ALUNOS

• Descobrir que Deus chama todas as pessoas para segui-Lo e algumas para um ministério especial. (Saber)
• Procurar oportunidades para buscar os membros afastados da famflia de Deus. (Sentir)
• Aceitar e viver o chamado para o discipulado. (Responder)

Para o professor explorar
- O reino de Deus
- Conhecer a Deus
- Abnegação

Atividade

O objetivo dessa atividade é comparar o lançamento de um novo produto com a maneira de Jesus lançar Seu novo produto: o reino de Deus e Sua justiça.
Dê oportunidade para os alunos compartilharem as propagandas de marketing que criaram. Em seguida, peça para observarema maneira que Jesus lançou Seu novo produto. Primeiro, “viveu”o seu produto – fez isso de tal forma que as multidões O seguiram por causa do que oferecia. Segundo, escolheu pessoas e as treinou pessoalmente para que O ajudassem a “promover”o produto. Finalmente, expôs os princípios pelos quais desejava que Seu povo vivesse. Os discipulos deveriam viver o que pregavam.

Ilustração

Em certa ocasião, o pastor Jimmy Chapman, de Washington, Geórgia,nos Estados Unidos, relatou a história interessante do chamado de um dos gigantes do cristianismo.
“Em Yorkshire, na Inglaterra, durante o inicio dos anos 1800, nasceram dois filhos na família Taylor. O mais velho fez carreira no Parlamento e ganhou prestígio público. Porém, o mais velho escolheu entregar a vida a Cristo. Mais tarde, recordou: “Lembro-me bem que ofereci humildemente a mim mesmo, a minha vida, os meus amigos e tudo mais sobre o altar. Senti que estava na presença de Deus, fazendo um concerto sagrado com o Todo Poderoso.”
“Em total submissão a Deus, Hudson Taylor aceitou o desafio de ir à China e ingressar no desconhecido. Como resultado, ficou conhecido em todos os continentes como um fiél missionário e fundador da China Inland Mission, hoje conhecida por “Overseas Missionary Fellowship”. Quanto ao irmão mais velho, não restam informações sobre ele. Se olharmos na enciclopédia e fizermos  uma pesquisa a seu respeito, encontraremos: “irmão de Hudson Taylor”. “... porém aquele que faz a vontade de Deus vive para sempre”(1 João 2:17, NTLH).”

Uma ponte para a história

Desde o momento em que Deus caminhou pelo Jardim do Éden à procura de Adão e Eva até os dias de hoje, Ele te chamado os seres humanos caídos. Deveríamos nos perguntar porque Deus sempre Se preocupa tanto conosco.
Deus não precisa de nós para fazer Seu trabalho. Será que Jesus realmente precisava da desconfiança de Tomé e da impetuosidade de Pedro? Provavelmente não ,mas eles precisavam de Jesus. O chamado dos doze discípulos foi outra maneira de demonstrar que a raça humana caída pode ser transformada e usada para o avanço da obra de Deus. É um privilégio ouvir e aceitar o chamado de Deus ao dscipulado.

Aplicando a história (para professores)

A maioria dos alunos e, provavelmente, dos adultos também, nunca leu todo o Sermão do Monte. Separe um momento para lê-lo completamente com os alunos em Mateus 5-7. Pergunte aos alunos quais são as partes do sermão que eles nunca tinham lido ou ouvido antes.
Entre os assuntos abordados por Jesus estão:
paz, bondade, calúnia, o povo de Deus como sendo o sal da Terra, o início de um assassinato, o início de um adultério, casamento e divórcio, o ato de jurar, andando a segunda milha, amar os inimigos, fazer o bem, jejuar, preocupar-se, julgar, buscar a Deus, o caminho para o Céu, como construir uma vida e muito mais. Escolha alguns desses temas e peça para os alunos dizerem o que Jesus ensinou sobre eles.
No Sermão do Monte, Jesus dirigiu-se aos Seus discípulos de maneira que a grande multidão que O seguia pudesse ouvir. Os judeus já deveriam conhecer os princípios ensinados por Jesus. Mas por que não conheciam? Será que os líderes religiosos da época tinham algo a ver com aquela situação?
Muitos dos princípios do reino do Céu ensinados por Jesus são considerados radicais hoje. Por exemplo, muitas pessoas não acreditam que seja possível amar o inimigo. Se alguém batesse em sua face, você lhe ofereceria a outra? Será que Jesus estava pedindo que os judeus — que estavam sob o domínio dos romanos — se tornassem capachos?
Pergunte aos alunos como podem viver os princípios do Sermão do Monte em sua vida diária. Pergunte: “Será que alguém que não foi chamado por Deus pode viver por Deus?”
Utilize as passagens a seguir como fontes alternativas relacionadas à lição desta semana: 1 Samuel 3; Êxodo 20; Mateus 4:1.

Apresentando o Contexto e o Cenário

1. Os Melhores? Os doze discípulos escolhido por Jesus não eram os melhores seres humanos que a humanidade podia oferecer na ocasião. A maioria deles era pobre e iletrada. Isso pode ser percebido pelo desdém com que os líderes judeus os tratavam. Jesus escolheu seres humanos fracos e ignorantes e mostrou o que um pouco de exposição ao Sol da Justiça pode fazer àquele que aceita o Seu chamado.
Considere os resultados: “Três dos discípulos tornaram-se hábeis escritores. João foi um profundo estudioso.” — The SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 594. Pedro tornou-se um grande pregador. Jesus fez desse homem simples a fundação de Sua nova igreja que se espalharia e se multiplicaria até o Seu retorno. A pergunta que devemos nos fazer é: Se Jesus foi capaz de fazer tanto com tão pouco, o que pode fazer conosco?
2. Algo Melhor. Jesus lutou pelo poder do Santo Espírito contra as regras vazias e as tradições de homens ensinadas em Sua época. Essa foi a mensagem pregada por João Batista, que preparou o caminho para Jesus. Essa foi a mensagem do Sermão do Monte. Ellen White descreveu a maneira que Jesus proclamava Sua mensagem:
“Cristo decepcionou essa esperança de mundana grandeza. No Sermão do Monte, procurou desfazer a obra da falsa educação, dando a Seus ouvintes conceito exato de Seu reino, bem como de Seu próprio caráter. Não atacou, todavia, diretamente os erros do povo. Via as misérias do mundo em razão do pecado, mas não lhes apresentou um quadro vivo de sua desgraça. Ensinou-lhes alguma coisa infinitamente melhor do que haviam conhecido.” — O Desejado de Todas as Nações, p. 299.
3. O Reino da Graça Não da Força. No Sermão do Monte Cristo não falou apenas sobre o Reino da Glória, mas também do Reino da Graça que se estabelece no coração de Seus seguidores. Os judeus tinham o conceito popular de que o reino governado pelo Messias seria estabelecido pela força e os livraria do domínio romano tão odiado por eles.
Nas parábola, como a parábola do grão de mostarda e do fermento, Jesus procurou dar exemplos de como viver o Reino da Graça. “O reino que Cristo veio estabelecer
começa no coração do homem, permeia sua vida e transborda para o coração de outros homens com o poder dinâmico e constrangedor do amor.”- The SDA Bible Commentary, vol. 5, p. 325.

Atividade

Oriente os alunos a fazerem uma oração silenciosa a Deus em resposta ao Seu chamado. Peça para terminarem a oração com as seguintes palavras:
“Pai, ouço o Teu chamado. Pela Tua graça planejo...”
O objetivo dessa oração é conscientizar os alunos que Deus ainda está à procura de discípulos para ajudá-Lo a estabelecer o Seu reino. Encerre co uma oração de consagração e dedicação a Deus e à Sua obra.

Resumo

Ao pé do monte há mais de 2.000 anos, Jesus escolheu doze seres humanos para ajudá-Lo a estabelecer Seu reino. O Reino da Graça, como ficou mais tarde conhecido, foi inaugurado naquele dia e recebemos seus benefícios hoje.
O Sermão do Monte que ocorreu logo após terem sido escolhidos os doze discípulos expôs de forma muito clara a constituição do novo Reino de Deus na Terra. Esse novo reino foi estabelecido sobre o amor abnegado e a devoção a Deus e ao próximo. Os discípulos nào conheciam esse Reino na época, mas foram escolhidos para cumprir a maior de todas as missões jamais confiada a um ser humano. Essa missão transformou a vida deles. Deus chama hoje homens e mulheres a viver uma vida infinitamente mais significativa do que estão vivendo agora. Ele concede a todos aqueles que aceitam Seu chamado uma nova maneira de viver, um novo caminho a seguir no mundo.

Dicas para um ensino de primeira linha
Trabalho em equipe

Os professores geralmente tem dificuldade de fazer com que os alunos trabalhem em equipe. O assunto abordado na lição desta semana oferece uma boa oportunidade de analisar o que Jesus fez para que Seus discípulos trabalhassem em equipe.
Os discípulos eram homens simples e desorganizados. Será que a santidade de sua missão fez com que trabalhassem em equipe? E quanto ao próprio Jesus? Será que todos se uniram por estarem em Sua presença? A resposta a essas perguntas é não.
Os discípulos aprenderam a trabalhar em equipe observando a maneira como Jesus tratava cada um. Além disso, foram forçados a permanecer juntos após Sua crucifixão. Exemplo e sacrifício – essas são as duas melhores maneiras de ensinar os seguidores a trabalhar em equipe.

Lembre os alunos  sobre o plano de leitura, em que eles estudarão, na série O Grande Conflito, o comentário inspirado da Bíblia. A leitura correspondente a esta lição é o Desejado de Todas as Nações, capítulo, 30, 31.