Benjamin, o órfão querido

Benjamin mesmo órfão (de mãe) cuidou de seu pai Jacó por toda a sua vida.

Foi ricamente abençoado.

 

Nome: Benjamim
Pai: Jacó
Mãe: Raquel
Ano: 1900 a.C.
Lugar: Belém, a mesma cidade onde nasceu Davi e Jesus
Mais Informações: Bíblia, em Gênesis 35:16-20; 42:13-16; 43:15-34

Aproveite a oportunidade para trabalhar especialmente com as crianças filhos de pais separados/divorciados ou órfãos da tua turma. Eles, mesmo ante a dificuldade, podem ser homens e mulheres com ideais e fiéis quando crescerem.  

 

Verso bíblico    Deuteronômio 28:2 Se ouvires a voz do SENHOR, teu Deus, virão sobre ti e te alcançarão todas estas bençãos.

Imprimir desenho: Benjamin o órfão querido

 

Os menores imprimem desenho para pintar

 

 

Jacó, com a idade de 77 anos e solteiro, teve que sair da Palestina e se refugiar na casa de parentes na Mesopotâmia. Lá trabalhou, casou e, depois de 20 anos, voltou com 11 filhos e rico para a Palestina.
Nessa longa peregrinação de volta, parando quase em cada lugar onde seu avô Abraão havia morado, nasceu seu 12º filho. Deveria ser um motivo de muita alegria na família, porque esse número traz, para os judeus, a idéia de vida completa, no limite do seu desenvolvimento. Também porque era mais um filho de Raquel, a esposa por quem Jacó trabalhara 14 anos a fim de conseguir casar-se com ela. Ela era muito bonita, doce, e seu outro filho, José, de tão inteligente e educado, era o preferido de Jacó.
Mas a tristeza tomou conta daquele acampamento, porque Raquel, já com 50 anos, morreu pouco depois que o garoto nasceu. Momentos antes, ela ainda pediu que lhe dessem o nome de Benoni, que significa “filho da minha dor”. Jacó, entretanto, mudou o nome para Benjamim, “o filho da minha mão direita”. Ele não queria
uma lembrança triste. Aquele filho, nascido quando ele já estava com mais de 100 anos, seria seu apoio, sua alegria na velhice.
Assim cresceu Benjamim, órfão de mãe, mas muito amado pelo velho pai e pelo seu irmão José, que tinha uns 14 ou 15 anos a mais que ele. Os outros 10 irmãos tinham mais idade ainda, mas esses não gostavam dos dois filhos de Raquel.
Com 17 anos, José quis começar a trabalhar, não por necessidade, mas porque gostava de ser útil. Ele ajudava a cuidar dos rebanhos. Um dia, os outros irmãos, malvados, extravasando toda a sua ira, venderam José como escravo para ser levado ao Egito, um país distante. E disseram ao pai que um urso havia matado José.
Jacó quase morreu de desgosto, mas consolou-se com o pequeno Benjamim. Esperto, educado, religioso, era o verdadeiro arrimo do pai.
Passaram-se mais de 20 anos, até chegar a notícia de que José não havia morrido; pelo contrário, estava muito bem no Egito, onde era o governador-geral daquele que era o maior país da época. E a primeira pessoa que José quis ver foi exatamente seu amado irmão Benjamim. Depois, José levou o velho pai e todos os irmãos para morarem no Egito.
Benjamim, o órfão que não conheceu sua mãe e cuidou do pai e o animou nos momentos mais difíceis, nem por isso tornou-se amargurado ou revoltado. Enfrentou a vida e venceu. Quando casou, teve dez filhos e formou uma das tribos mais importantes de Israel.
 

 
Palavras cruzadas: Benjamin, filho de Jacó
 
Benjamin foi um exemplo a seguir. Vamos tentar?

Peça ajuda a Ele e Ele te ouvirá. Devemos honrar pai e mãe...

Com amor, Tia Célia